Como definir o melhor domínio?

Como-definir-o-melhor-dominio

O marco zero, a base, assim é o domínio para o universo digital. Não existe presença digital profissional sem um domínio. Atrelada à importância de se ter um domínio, está a dificuldade de se conseguir um bom nome. Somente no período de 31/12/2020 à 31/01/2021, foram registrados 126.979 domínios no Brasil (fonte: registro.br). São registrados aproximadamente 3 domínios por minuto! E esse cenário não ficará menos competitivo nos próximos anos, pelo contrário, a tendência é que essa disputa fique ainda mais intensa. Mas afinal, o que define um bom domínio? É isso que iremos tratar nesse conteúdo, ensinando algumas técnicas de pesquisa e dicas para facilitar a escolha do melhor domínio.

Vamos começar pela definição do que é um domínio:
Domínio é o nome dado a sua empresa ou projeto na internet. É tudo o que aparece depois do “www” no caso de endereços da web, e depois da “@” no caso de emails.

Agora, o que é extensão:
A extensão é tudo o que vem após o nome do domínio. Podem indicar o país de origem do domínio, o segmento de atuação ou mesmo uma referência ainda mais específica do ramo de atividade. Exemplificando isso, citamos as seguintes situações: “gk2.com.br” (o .com representa comércio, e o .br especifica ser um domínio brasileiro), “gk2.com” (o .com é uma extensão generalizada norte americana, uma das mais antigas, conhecidas e usadas no mundo) e “gk2.cloud” (a extesão .cloud remete ao ramo de atividade).

Feito isso, vamos para a parte prática, que separamos em 4 passos. Independente da empresa ou projeto ser novo ou não, pois a execução é idêntica para ambos os casos.

Primeiro passo: defina um nome

Não se engane com a facilidade aparente que essa etapa transmite. Decidir o nome do domínio vai além de se basear no nome da empresa ou ramo de atividade. É preciso pensar em um nome claro/direto, o mais curto possível, que possibilite rapidez na leitura, pronúncia e escrita, assim como facilidade em digitar o domínio no navegador ou comandar para seu assistente de voz efetuar a busca.

Evite o uso de caracteres como o hífen ou caracteres acentuados. Analise as palavras-chaves mais pesquisadas no segmento, e se for possível, encaixe isso no nome do domínio. A regra quanto ao limite de caracteres, para os domínios nacionais, vai de 2 à 26, sem incluir a extensão. Falando nela, foque em extensões que facilitem a busca, ou que façam parte do nome ou segmento da empresa, ou que encaixem com alguma palavra-chave.

Segundo passo: pesquise a disponibilidade de domínios nacionais

Com a definição do nome e da extensão, partimos para a pesquisa de viabilidade do registro, ou seja, conferir se o domínio desejado está disponível para compra. Comece essa pesquisa com os domínios nacionais. Você pode usar a ferramenta de busca do nosso site gk2.cloud/domains.

Caso a pesquisa aponte para a disponibilidade de registro, maravilha, vamos para o próximo passo! Caso contrário, realize uma nova busca mantendo o nome, porém, buscando outras opções de extensões. Alguns sites apresentam sugestões de domínios liberados para registro quando isso acontece. Se essa segunda pesquisa não apresentar boas opções para registro, altere o nome do domínio, e refaça o processo todo. Nessa situação, você poderá cruzar as novas possibilidades de nome com as possibilidades de extensões.

Terceiro passo: pesquise a disponibilidade de domínios internacionais e especiais

O processo de pesquisa é o mesmo que os domínios nacionais, apenas com uma mudança significativa: a quantidade de extensões. Para os domínios internacionais essas opções são em maior quantidade e possibilidade. Nossa ferramenta de pesquisa de domínios funciona simultaneamente para internacionais, nacionais e especiais.

Normalmente as empresas de busca e registro de domínios internacionais realizam a busca e apresentam juntamente com o resultado, as possíveis opções de extensões que se encontram disponíveis para registro, inclusive com as extensões especiais. Dentre as inúmeras extensões, citamos algumas para exemplificar: “.online”, “.market”, “.delivery” e “.digital”.

Quarto passo: registro e pagamento

Chegamos ao último passo prático. Tudo correndo bem nas etapas anteriores, agora é só registrar o domínio e efetuar o pagamento. Lembrando que o processo será concluído, e o domínio liberado para uso, somente após a confirmação do pagamento. Independente se é domínio nacional, internacional ou especial, o ciclo de cobrança é anual, sendo possível optar por ciclos de 2 a 10 anos consecutivos, mas com pagamento único. As modalidades de pagamento são basicamente boletos e cartão de crédito. Como ainda é muito novo, o PIX possivelmente será incorporado em breve.

Outras dicas valiosas:

Ficou na dúvida entre um domínio e outro? Registre todos! Registrar um domínio é muito fácil. Essa facilidade somada ao baixo custo de registro, geralmente encoraja as pessoas a comprarem domínios indefinidamente, mesmo sem ter uma perspectiva para uso deles.

Seja estratégico! Pesquise e registre domínios que irão garantir uma atuação mais completa para a empresa ou para o projeto. Essa atuação mais completa significa que você deve proteger o patrimônio da sua empresa, registrando todos os domínios possíveis relacionados à sua marca. Exemplo: xyzstore.com.br, xyzstore.com, xyz.store, xyzstore.digital e xyzstore.online.

Fique atento ao Registro.br, órgão que responsável pelo registro e manutenção de domínios “.br”, pois anualmente, os domínios que não são renovados (pagos), são ofertados ao mercado novamente através de um processo de liberação. Qualquer um (PJ ou PF) pode disputar a compra desses domínios.

Cuidado!! Infelizmente o registro de domínio é alvo constante de golpes. Não efetue o pagamento de qualquer boleto que não tenha sido enviado pelo seu data center, ou baixado diretamente no site cujo tenha efetuado a compra/registro do domínio. Em caso de dúvidas, acesse seu perfil no respectivo site, ou fale com o suporte do seu data center.
O domínio é o start da presença digital, com ele você poderá ter seu próprio site, blog, loja virtual, app ou sistema, e também, os chamados emails profissionais, ou personalizados, que são emails que utilizam o seu domínio, como por exemplo contato@gk2.com.br. Mas para isso, é necessário além de um domínio, ter um provedor de hospedagem. Nós criamos um conteúdo para ajudar você a definir sozinho, qual o melhor plano de hospedagem para sua empresa ou projeto. Acesse esse conteúdo clicando aqui. Ou se preferir já se tornar um cliente GK2 Cloud, clique aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *